ADVComm - Tecnologia Fotoluminescente e Acessibilidade

Solicite um Orçamento

Nome*

E-mail*

Telefone*

Mensagem

Não preencher:

Temporada de queimadas culmina com corte de verba para programas de combate a incêndios florestais

Em números gerais, as queimadas tiveram alta histórica de 60% no Brasil. Mesmo assim, verba de programas de prevenção do governo foi reduzida em 16 milhões, caindo de R$ 59 mi em 2015, para R$ 43 mi em 2016.

queimadas_

Um levantamento da ONG Contas Abertas, feito sob encomenda para a rede CBN, mostrou que apenas R$ 43 milhões foram repassados a programas ligados a controle, fiscalização e monitoramento de incêndios. O programa de monitoramento ambiental, prevenção e controle de incêndios florestais é um exemplo de verba contingenciada: dos R$ 60 milhões previstos, apenas R$ 6 milhões foram repassados.

O repasse de verba segue com o “pé no freio”, enquanto o fogo se alastra rapidamente no período de secas. O satélite do INPE detectou inacreditáveis 42.800 focos de incêndio ocorrendo praticamente em tempo real em todo o país na última sexta-feira. O número é um recorde na história desse tipo de monitoramento, iniciado em 1998.

Em meio aos locais onde ocorre incêndio, 218 são áreas de preservação ambiental, ricas em vida animal, fauna e flora. Algumas dessas queimadas já duram mais de três semanas, como é o caso do parque nacional do Araguaia, no Tocantins.

 

No Estado de Minas Gerais já passam de 3.500 o número de incêndios florestais.

O número em MG, no entanto pode crescer drasticamente, visto que ainda não foram registradas as ocorrências do período de junho e julho, época em que a baixa umidade do ar contribui para novos focos de incêndio.

Como medida, O 1º Comando Operacional de Bomeiros do Estado de Minas Gerais, em parceria com o Batalhão de Emergências Ambientais e Resposta a Desastres (BEMAD), tem ministrado desde junho deste ano, treinamentos de aprimoramento e técnicas de combate para suas equipes.

Apesar de alarmante o número é menor que nos anos anteriores. Em 2015 foram 9.809 ocorrências de incêndios florestais atendidas pelo Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, 3.325 ocorrências a menos que em 2014, que teve 13.134 incêndios.

Já no Estado do Mato Grosso, foram registradas mais de 6.500 queimadas esse ano, número 32% maior que o mesmo período do ano passado.

O fato obrigou o governo local do Mato Grosso a criar uma norma de proibição de qualquer tipo de queimada em propriedades rurais, entretanto a fiscalização ainda é precária.

Como exemplo de incêndio na região, um incêndio atingiu grande parte dos hectares de uma propriedade rural, situada entre os municípios de Cláudia e União Sul, nas proximidades da MT-423. O controle das chamas envolveu um mutirão composto pelo Corpo de Bombeiros de Sinop, brigadistas, moradores do local que contrataram caminhões-pipas e seis tratores. O fogo iniciou-se com uma palha de milho após a colheita.

Uma campanha de conscientização começará a ser divulgada na próxima semana em cadeia nacional em rádio e TV pelo ministro do Meio Ambiente.

Fontes: CBN reportagem Brunno Melo; Só Notícias MG, MT Agora, Super Notícia

É fundamental a utilização de placas de sinalização de combate a incêndio para auxiliar na conscientização de motoristas para que não joguem garrafas ou cigarros em regiões com risco de incêndio ambiental. As placas também são úteis para instrução de trabalhadores em áreas de preservação ambiental ou regiões com risco de queimada.

A ADVComm possui uma extensa linha de placas de sinalização de proibição e caráter preventivo, indicadas para locais com risco de incêndio. As placas são produzidas com ampla variedade de materiais e formatos, incluindo sinalização de longa distância. Fale conosco para saber mais.

Publicada em Blog, Bombeiros and tagged , , , , , .
Comentários

Cadastra-se para receber conteúdo exclusivo.

Estudio Fante - Agência Digital